A culpada

Minha foto
Nenhuma literatura está livre de ficção. E nem de verdade.

sábado, 5 de agosto de 2017

Feliz insônia

As noites em que me envolve nos teus braços e conversas tem sido as melhores noites-mal-dormidas que se poderia desejar.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Retorno

Tenho dormido tão bem

E respirado também 


O riso reafrouxou-se

O apetite reajustou-se 


Li dia desses que a pressa resulta em acidente

Não sei se falavam dos carros ou se falavam da gente


Sei que vou devagar

Deveras mais contente 


E, sorridente em meu caminhar,

Procupo-me apenas com a canga, que é pra não deixar o mar molhar


De resto, deixa estar.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

sábado, 25 de março de 2017

quinta-feira, 9 de março de 2017

Pouco antes das 7

Não acho que eu escreva bem ou ao menos saiba escrever.
Acho, talvez, que consigo elucidar no papel aquilo que sinto, imagino e projeto.

Costumo gostar do resultado.
Às vezes até acredito.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Eu não sabia nem por onde começar, e acabei quase que sem espaço pra terminar.

Daí ela pediu para eu escrever sobre quem era eu...

Depois de escrever-me, decidi nunca mais voltar ao consultório. 

sábado, 17 de dezembro de 2016

Toda noite na janela

Tem uma estrela
Que para sempre em frente 
à minha janela
É quase certo;
Se no céu não tem nuvem,
lá estará ela.

Lembro de na infância
Pensar que estaria a lua
a me olhar
Respondera minha mãe
Que estava o mundo a girar
E a lua a acompanhar 

E agora, olhando minha estrela e a lua
Não duvido que a da minha janela
Seja a mesma que a tua.

(Talvez por isso sinto-a com a alma tão nua)